Páginas

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

BUENOS AIRES - Terceiro dia

Nosso terceiro dia em Buenos Aires foi pouco mais tranquilo, mas ainda com longas caminhadas.

Voltamos para a visita guiada no Teatro Cólon, lugar cheio de história, relíquias, dedicação e talento. A visita dura cerca de 40 minutos e é indispensável para aqueles que vão à capital argentina e são loucos por artes como eu e o Victor. Foi lá que provei minha única empanadas de frango, um pastel de forno interessante com a massa fina e leve - mas sinceramente eu prefiro o bom e velho pastel com caldo de cana. A-MO!


Nenhum figurino é repetido. A cada ópera, novas peças são criadas.



A sala de acústica perfeita.


Acima do lustre, ficam os profissionais que fazem os efeitos sonoros das óperas.

De lá rumamos para São Telmo, onde não havia muito o que se ver em um dia de semana. 
O bairro é mais conhecido pelos seus muitos antiquários e acredito que o interessante mesmo seja aos domingos, quando acontece a feira de antiguidades (tipo a feira do Lavradio, no Rio de Janeiro) com dançarinos de tango por todos os lados. Infelizmente perdemos essa oportunidade. Certamente teríamos uma excelente experiência. 

 
De São Telmo para La Boca é um bocado longe, então, após comprar os chapéus Panamá - SONHO REALIZADO -, fomos até a igreja Russa, onde apenas conseguimos fotografar parte das cúpulas, pegamos um táxi até o caminho de La Boca (mais ou menos ARG 35). Passeamos pelo pequeno passo cheio de lojinhas lotadas de souvenires e almoçamos. Por lá compramos alguns potinhos de doce de leite para presentear nossos familiares. La Boca é pequena e há pouco para se ver. Alguns artistas expõem seus quadros (lindos) e os vendem a mais ou menos ARG 300, os restaurantes têm artistas de chapéu fazendo shows de tango e outros artista vestidos a caráter oferecem fotos aos turistas. Escolhemos um restaurante com um arroz péssimo que não paguei e um peixe assado que veio com muita água. Acho que apenas a carne vermelhada se salvou, o que não comi, mas o marido disse que estava aprovado.





Voltamos ao hotel para refazer as malas, brincando de quebra-cabeças. Afinal nosso voo a Mendoza sairia às 6:10h e seria mais um dia com pouco sono.
Agora sim, para mim, a aventura estava começando. Conhecer as vinícolas de Mendoza é sonho e um must go da minha vida. Meu coração estava a mil de tanta excitação. 




Beijos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...