Páginas

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

INTERCÂMBIO- SEJA UMA AU PAIR.

Há diversos blogs de au pairs espalhados pelo mundo e o meu objetivo agora é descrever minha experiência e tentar esclarecer os prós e os contras dessa escolha para intercâmbio.

Por que escolhi o intercâmbio Au Pair?
Por ser o intercâmbio mais barato do mercado e o mais longo, 1 ano, podendo ser prolongado por mais 6, 9 ou 12 meses. O valor que paguei em 2006 foi de US$950, dos quais US$400 poderiam ser devolvidos, caso eu ficasse por 2 anos. O contato direto com a cultura da família do país é mais intenso e você também tem todo o apoio de saúde e conselheiros da empresa responsável pelo programa. Além disso, todo Au Pair é renumerado semanalmente e a família é quem deve arcar com toda sua alimentação e estudo.
Os únicos valores pagos pelo intercambista são os de adesão do programa e os despesas com o visto. Até mesmo a passagem aérea é pago pelo programa. Em outras palavras, o custo benefício do programa é o melhor.

Quais países aceitam Au Pair?
Outra detalhe que me deixou bem animada foi a possibilidade de poder estender esse programa para outros países, pois há empresas que fazem esse tipo de intercâmbio na Itália, França e Alemanha. Atualmente também é possível encontrar au pairs na Holanda e Irlanda. Eu acabei ficando apenas com a os Estado Unidos por uma questão de ideia e vontade de voltar para casa. Contudo, hoje, se ainda tivesse a oportunidade e a economia ainda estivesse boa na Europa, também faria o mesmo intercâmbio na Itália.

O que é preciso para ser uma Au Pair?
Apesar de ser uma função bem feminina algumas empresas também dão a oportunidade para meninos. Au Pairs precisam ter entre 18 e 26 anos, ter habilitação de motorista, experiência com crianças, Ensino Médio completo, ter inglês intermediário. Todas essas informações são testadas e verificadas.
Conheci Au Pairs que mal falavam inglês e sua dificuldade era grande; mas o pior é que muitas delas não se preocupavam com o desenvolvimento cultural e se mantinham com meninas de seus países de origem. Au pairs precisam estar abertas a conhecer novas culturas e se envolver melhor com o grupo todo de seu clã.
A habilitação de motorista deve ser internacional, portanto, assim que fechar com uma família, a providencie.

Como funciona a escolha da família?
Após tudo comprovado e pago, seu cadastro no site da empresa de au pair é feito e é por lá que a família, que paga mais ou menos US$10.000 para te levar, começa a pesquisa. Eles avaliam tudo, desde a experiência até as fotos que as au pairs disponibilizam e depois entram em contato por e-mail. A princípio é apenas uma apresentação da família, do lugar onde vivem.
Responda a todos os e-mails recebidos - e não serão poucos. Caso ache que não se identificou com a família, você pode recusar o convite educadamente, por exemplo, dizendo que espera por uma família em uma determinada região do país ou apenas com uma criança, data de embarque, etc.
Caso sua resposta seja positiva à família, ela entrará em contato via telefone para que possam conversar. Essa também é a sua chance para conversar com as crianças e/ou com a au pair que você poderá substituir.
Tanto você, quanto a família precisam de um tempo para pensar. Após esse período a família dirá se quer ou não fechar o MATCHING com você. Mas a palavra final é sempre a sua.

Depois de um tempo de convivência, caso as partes percebam que a escolha não deu certo, cada au pair tem direito a mais dois REMATCHES e todo o processo descrito acima acontece novamente. Au pairs também tem a chance de fazer um rematch no final do primeiro ano, caso prefiram ficar em outra parte do país. Tive a sorte de ter feito do matching com os Waxes e de modo algum pensei em larga-los. Foram dois anos maravilhosos ao lado deles.

Como funciona o apoio da conselor?
Cada área geográfica das au pairs é dividida e uma pessoa fica responsável por dar qualquer assistência a essas au pairs. A figura da conselor auxilia desde a lista de au pairs na região onde você irá morar, passando pelas indicações de instituições onde poderá estudar e as reuniões do grupo de au pairs. Qualquer problema que a au pair tenha com a família e estes não conseguirem se entender, a conselor é quem terá que mediar as negociações.
O meetings das au pairs geralmente acontecem em restaurantes e cafeterias. Às vezes, há encontros para passeios.

Quais são as opções de estudo?
Não saia do Brasil achando que você irá cursar a universidade nos EUA. Os cursos mais indicados são os chamados Continueing Education, que são cursos que chegarão ao valor de US$500 que a família deve pagar e são de curta duração. Caso o intercambista queira fazer créditos universitários, ele terá que desembolsar esse valor. Os créditos/horas de estudo são obrigatórios apenas no primeiro ano.

Quais são as empresas internacionais para Au Pair?
Praticamente todos as empresas de intercâmbio no Brasil trabalham com essa modalidade. Contudo, elas se associam a outras empresas que prestam esse serviço no país para o qual o você irá. Eu fui pela Au Pair in America, mas também há a Au Pair Care, Au Pair World, Euraupair e Cultural Care.

Preciso mesmo de empresas intermediárias?
Você não necessariamente precisa de uma empresa brasileira para contactar as empresas americanas para fazer o application. Acontece que muitas vezes as empresas de interâmbio brasileiras nos ajudam a esclarecer dúvidas e também fazer encontros e treinamentos antes de seu embarque. Na minha opinião, vale a pena ter esse apoio.
Também não é preciso empresas que prestam esse serviço em outros países. Há sites nos quais você pode cadastrar seu currículo e procurar famílias que precisam de au pairs, como Au Pair.com, Great Au pair, Easy Au Pair e New Au Pair. O problema é que sem uma agência, você terá que fazer todos contatos e sem qualquer orientação, podendo não estar fazer um bom negócio e pode ter uma séria decepção com a família escolhida. Além disso, há muita burocracia para obter o visto quando se opta a fazer o intermcâmbio dessa forma.

Qual é a maior dificuldade de ser Au Pair?
Acredito que a grande dificuldade seja a adaptação em relação ao trânsito, principalmente para brasileiros. As leis são mais rígidas e realmente precisam ser respeitadas ou terá um policial caindo de uma árvore para te dar uma multa.
Além disso, a educação dada às crianças norte-americanas é bem diferentes das brasileiras. É preciso respeitar esse limite dado pelos host parents, afinal foram eles quem pagaram para que você tivesse essa chance.

Quais são os maiores benefícios de ser Au Pair?
Além do crescimento e amadurecimento pessoal e cultural, você terá chances de viajar pelo países de origem e também para outros lugares oversea. Novas amizades também serão feitas e se você souber mantê-las, terá sempre um sofá para dormir quando viajar.

Como será minha vida pós-Au Pair?
Não volte aos Brasil achando que tudo será flores. Demora um tempo para se adaptar ao país, principalmente quanto ao comércio que não facilita nossa vida como o dos EUA.
Caso você não tenha se dedicado aos estudos por lá - na sua área de atuação no Brasil- será difícil uma nova colocação no mercado. Todos esperam que seu inglês esteja impecável e sempre haverá um teste. Não sonhe com a possibilidade de que pode dar aulas de inglês por ter morado nos EUA e ter cuidado de crianças. A nossa realidade social é bem diferença e cada aluno é um caso.
Aconselho que antes de pisar em terras tupiniquins, reavalie sua vida acadêmica e profissional e já procure uma nova colocação, inscrevendo-se em saites de empregos e estágios. Muitas empresas hoje fazem entrevistas via Skype.

Posso fazer outro trabalho sendo Au Pair?
Poder você não pode, mas algumas famílias permitem que as Au Pairs façam extras com baby sitting nos seus horários livres.





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...